Vegan Vegan

ALIMENTAÇÃO SEGUNDO CADA ESTAÇÃO DO ANO


PRIMAVERA:
21 SETEMBRO ATÉ 20 DEZEMBRO

A PRIMAVERA é uma estação que dá início ao ciclo de todas as outras. Sua característica principal é o florescer de todas as plantas. A energia do céu é o vento e a energia da terra é a madeira . Dias com tardes e manhãs frescas. A terra é coberta pelo verde e o colorido das flores. A energia fria vai se recolhendo e a energia quente despontando. O sabor ácido e o elemento madeira estão no ar. Nesta estação devemos cuidar do fígado e vesícula biliar que são órgãos renovadores da vida (sangue). Quanto à alimentação devemos focar nos alimentos que ajudam a limpar o fígado e vesícula assim como as folhas verdes, temperinhos como salsa, cebolinha, alho-poró, manjericão, hortelã, aipo, os grãos e sementes germinadas. As sopas e caldos preparados sem gordura e com uma variedade de legumes de todas as cores e formas como cenoura, abobrinha, nabo, beterraba, tomate, chuchu, rabanete, abóbora, berinjela, couve-flor e brócolis devem estar presentes no dia a dia. Todos os cereais caem bem em pouca quantidade. Os vegetais devem ser levemente cozidos no vapor ou crus em saladas, priorizando os que estão em abundância e com bom preço, nas feiras e mercados. As frutas de várias maneiras, frescas, nas saladas, geleias e sucos são muito bem vindas. Todas as preparações que passam pouco tempo no forno e fogo, como panqueca, chapati, bolinho no vapor, etc.

As emoções são importantíssimas no equilíbrio ou desequilíbrio dos órgãos. Cada órgão está ligado a uma emoção, quando positiva melhora a função do órgão e quando negativa desequilibra o órgão e a víscera correspondente. Segundo a filosofia chinesa todo sintoma de desequilíbrio do corpo começa com o desequilíbrio das emoções. A alimentação é fundamental para esse processo. Cada estação tem sua cor, um sabor, uma energia do céu e da terra e os sentimentos ou emoções negativas e positivas.

Estação do ano – primavera
Energia da terra – madeira
Energia do céu – vento
Cor – verde
Sabor – ácido
Órgão – fígado
Víscera – vesícula biliar

Emoções negativas – cólera, raiva, irritabilidade, impaciência.
Emoções positivas – paciência, planejamento, poder de decisão, autocontrole.
Em cada estação, a natureza cuida de dirigir a energia do homem.
Cabe a nós sintonizarmos saúde ou doença com esse movimento.
Partes do corpo mais sensíveis – olhos, testículos, ovários, tendões, músculos, ligamentos, unhas , vesícula e fígado.

Manual do Herói – Sonia Hirsch
Manual de Dietética em Medicina Tradicional Chinesa – Paulo Benevides

VERÃO:
DE 21 DE DEZEMBRO À 21 DE MARÇO

Na China antiga, as estações do ano é que orientavam a alimentação do povo, a atividade física e os métodos naturais para a preservação da saúde.
O verão é a estação do sol, calor e comidas frescas.
Caprichar nas frutas suculentas ( abacaxi, laranja, melancia, melão, pera portuguesa, kiui, ameixa vermelha, uva ), água de côco, brotos e hortaliças cruas ou levemente aquecidas. Temperos como limão, salsa, cebolinha, funcho, hortelã, coentro, alho-poró, alcaparra e todas as ervas frescas.
O sabor amargo da chicória, jiló, couve, serralha, nabo, aspargo, aipo, alcachofra, alfaces ajuda a tonificar a energia do coração ( órgão em evidencia nessa estação ).
O elemento fogo em equilíbrio, segundo os sábios chineses, possibilita a nosso corpo sentimentos de alegria e pensamentos positivos.

OUTONO:
DE 20 DE MARÇO À 21 DE JUNHO

Segundo a sabedoria oriental as estações do ano definem como devemos nos cuidar, prevenindo e curando doenças emocionais e físicas, através da alternância ao longo dos ciclos do dia, do mês e do ano. O nascer e o pôr do sol, as fases da lua, as cinco estações. Com esta observação podemos compreender o simples da vida e aplicar no nosso cotidiano. Em cada estação, a natureza é simbolizada por um elemento, uma cor, um sabor e está direcionada a um órgão do nosso corpo.

O pensamento ocidental nos orienta que devemos equilibrar nossa alimentação de acordo com seus nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas, vitaminas, minerais, enzimas, fibras), enquanto que a nutrição oriental não leva em conta estes princípios, mas sim a ingestão de alimentos das 5 cores, dos 5 sabores e das 5 naturezas, de acordo com a energia de cada estação do ano, para que tenhamos uma nutrição balanceada.

A estação do outono é simbolizada pela cor branca, sabor picante, natureza seca e elemento metal como um machado que corta a vida da natureza, fazendo as folhas caírem e a exuberância da vida diminuir. Essa transformação da natureza influencia também nossa atitude diante da vida. Possibilitando-nos momentos de recolhimento para decisão de mudanças.

Quanto à alimentação, devemos ficar atentos com alimentos que fluidificam mucos (facilitando a expectoração, como os de sabor picante sutil: cebolinha, gengibre, alho-poró, alho), hidratam (cozimentos no vapor ou na água) e limpam (misso, verduras, frutas da estação, secas ou cozidas, arroz integral, legumes) o pulmão e o intestino grosso, pois com o clima seco desta estação esses órgãos podem sofrer alterações em sua função (constipação intestinal, bronquite, rinite, alergias, crise de asma, etc.).

Para mantermos nossos órgãos em bom funcionamento e em harmonia com o clima da estação devemos evitar alimentos defumados, grelhados, gelados, açucarados, os crus em excesso.
Os mingaus com frutas frescas ou secas, o caldo de misso com alga, as frutas secas principalmente ácidas como o damasco, maçã ao forno com passas e tahine, o risoto com arroz integral e alecrim, agrião, nabo daikon são todos muito bem vindos... O importante é observar o que o mercado está oferecendo em abundância e preço justo. É o que a natureza está dizendo para usarmos.

Para preparar os alimentos, considerando a ascendência do frio e descendência do calor nesta estação, devemos usar os temperos e forma de cozimento de acordo com o clima apresentado (mais frio? temperos que vão aquecer como os picantes por exemplo, alimentos cozidos, etc.). É fundamental que tenhamos esta conexão com o que está fora e dentro de nós.

Lembrar sempre que a natureza é sábia e que a terra é nossa grande mãe, produzindo o alimento certo para que seus filhos suportem a estação vigente.

Através destas observações do ciclo e alternância da natureza chegamos à simplicidade e liberdade em nossa vida.

INVERNO:
21 JUNHO até 20 SETEMBRO

Nosso organismo segue as mesmas leis da natureza. Nas estações frias ele tende a resfriar e nas estações quentes a esquentar.

Em relação à alimentação, a intuição nos leva a ingerirmos alimentos e bebidas que vão aquecê-lo ou esfria-lo. Assim nas estações quentes nos alimentamos com alimentos frescos e quando cai a temperatura corremos para os caldos, sopas, chás quentes, grelhados, assados, etc. O ideal é não acumularmos calor nem frio no nosso corpo e ficarmos bastante atentos com as mudanças de clima em cada estação. A regra é sempre obedecer as estações, tornando nosso corpo mais resistente com escolhas sintonizadas com a natureza. A cada estação um órgão e uma víscera especificamente se tornam mais sensíveis; no verão, coração e intestino delgado; na canícula, estomago e baço/pâncreas; no outono, pulmões e intestino grosso; no inverno, rins e bexiga e na primavera, fígado e vesícula.

O inverno é uma estação simbolizada pelo elemento água. Sua cor é preta, seu sabor é salgado e sua natureza é fria. No corpo os rins e bexiga são órgãos que estão em evidencia com uma sensibilidade maior à qualquer sintoma de doença. Os rins são os órgãos que removem as toxinas do nosso corpo e exercem a função de eliminação dos resíduos alimentares, portanto uma alimentação que favoreça esse processo é prevenção e cura de qualquer doença.

A natureza nos oferece alimentos ideais para que os órgãos do nosso corpo exerçam cada um sua função de forma adequada. No clima frio, os alimentos devem ser preparados de forma que forneçam um calor interno. Como temperos mornos e quentes (gengibre, raiz forte, pimenta, pimentão, curry, alho, cebola, orégano, alecrim, etc.) para ajudar a circulação de energia e do sangue, alimentos que passam pelo calor no seu preparo - cozidos, assados, refogados, um pouco mais de gordura, diminuir o sal de todas as formas, comer mais raízes, menos doces dando preferencia as frutas mais cítricas, ou seja, comidas menos suculentas com propriedade de absorver mais umidade que gerar. Na medicina chinesa tanto os excessos quanto as deficiências são geradoras de enfraquecimento da energia vital relacionada aos rins.

A natureza ressente com esta estação. A cor verde das árvores fica mais escura, os pássaros cantam menos, a não ser quando o dia está mais quente. Muitos animais hibernam nessa época. Devemos cuidar do nosso sangue e da energia do nosso corpo, porque nosso sangue pode congelar como a água. O segredo de viver bem é o descanso mental e físico, é saber guardar a energia quente e preservá-la.
As estações do ano são o resultado do acasalamento da energia da terra com a energia do céu. No inverno a energia da terra é a água e a energia do céu é o frio.